Encontre a Sim Pneus que está mais próxima de você!

Clique Aqui!

Central de Atendimento

0800 7744 222

Injeção eletrônica: seus cuidados necessários.

Escrito por Claudia Fernandes Rodrigues - Postado em: 27/03/2017 - 13:19

 

injeção

Sistema de injeção eletrônica

Conheça um pouco mais sobre injeção eletrônica e os cuidados necessários para sua conservação.


O sistema de injeção eletrônica, muito comum nos carros atuais, foi criado para substituir os carburadores. Para o bom funcionamento do sistema e do motor, você deve seguir algumas recomendações importantes.

Injeção eletrônica economiza combustível
A injeção eletrônica é o sistema de alimentação de combustível que substituiu os carburadores e melhorou o desempenho dos motores, diminuindo o consumo de combustível e reduzindo a emissão de gases poluentes. Isso é possível porque o sistema de injeção eletrônico permite um controle mais completo e adequado da mistura de ar e combustível que entra no motor.

O sistema faz a leitura de diversos sensores espalhados em pontos estratégicos do motor, examina as informações e, com base em outros dados gravados em sua memória, envia comandos para diversos atuadores. Esse procedimento é efetuado várias vezes por minuto. A injeção eletrônica também dispensa o uso do afogador, peça rara nos carros hoje em dia.

Manutenção preventiva
A manutenção preventiva é importante, já que as peças do sistema eletrônico são bem mais caras que as do sistema carburado. A prevenção também serve para as peças periféricas, pois velas e cabos com defeito acabam danificando peças mais caras, como os sensores ou a central eletrônica da injeção.

Problemas típicos na injeção eletrônica
Geralmente, quando o sistema de injeção apresenta sinais de ineficiência o motor fica engasgando e com pouco rendimento, a marcha lenta fica irregular, e a potência do veículo diminui.

Prevenção de problemas
Seguir as especificações do manual do proprietário é fundamental, porque lá estão informações como a periodicidade em que os bicos injetores, velas e válvulas devem ser limpos e a durabilidade dos filtros de combustível.

Uma das principais medidas de prevenção é a limpeza dos bicos injetores, que deve ser feita a cada 30 mil KM, para evitar que sujeiras e resíduos do combustível prejudiquem o funcionamento do sistema.

Na hora da manutenção, escolha sempre oficinas especializadas em serviços de injeção, pois os componentes eletrônicos do sistema demandam conhecimentos específicos.

Evite bombear o acelerador
Os erros mais comuns que os donos dos carros cometem são “bombear” o acelerador ao ligar ou desligar o motor, ou tentar fazer o carro “pegar no tranco”. Nesses dois casos, haverá excesso de combustível na câmara de combustão, o que prejudica a eficiência da injeção.

Repare no painel
Os carros com injeção eletrônica possuem uma luz que fica acesa em caso de pane no sistema. Caso, acontença, leve a um centro automotivo especializado em injeção eletrônica.

Evite andar “na reserva”
Quando o nível do combustível do carro está na reserva, a sujeira depositada no fundo do tanque entra no sistema de alimentação e entope filtros e bicos injetores, além de superaquecer a bomba. O contrário também deve ser evitado: encher o tanque completamente pode danificar a bomba e as válvulas de injeção.

Fonte: http://www.azulseguros.com.br

 

Palavras-chave: Injeção, eletrônica, combustível, acelerador, bicos injetores, manutenção, preventiva.